sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A Senhora da Magia - Marion Zimmer Bradley

Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos, a lenda de Artur, como se fosse nova e, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.

A Senhora da Magia não foi exatamente o primeiro livro que li em 2014 porque eu o terminei em 2014 mas já tinha começado em 2013, então ficou meio a meio. Mesmo assim eu não o incluí na retrospectiva literária porque não achava justo já que eu ainda estava na metade. Ainda bem que eu fiz isso, porque lá pela metade do livro eu estava achando tudo uma chatice, cheguei a odiá-lo em uma parte. Não conseguia entender o porquê de estar odiando tanto e as pessoas terem falado tão bem do livro, o Skoob estava recheado de resenhas positivas sobre ele. Fiquei até me perguntando o que faria com os outros 3 livros que já tenho da série... apesar disso, não desisti da leitura e fui lendo, fui lendo até que ao terminar o livro acabei gostando. A Morgana foi me cativando e exatamente a forma como o livro acabou me conquistou. O que foi fundamental para que eu queira ler os próximos livros. Realmente espero coisas boas deles.
Bom, eu já sabia que As Brumas de Avalon era uma série contada pelo ponto de vista feminino das mulheres "ao redor" do Rei Arthur e achava que estava preparada para isso, mas não. Por causa disso ficamos distante das guerras e da ação, é tudo mais ligado aos "bastidores" da conquista de Arthur. As mulheres são decisivas para isso.
Pode parecer legal se visto por um ângulo mas é bem chato por outro, porque as mulheres da série, pelo menos inicialmente, parecem ser bem "idiotas" e com atitudes imaturas. Foi depois de analisar um pouco que elas realmente tiveram que crescer rápido demais e não tiveram muitas escolhas sobre as vidas delas que eu fui compreendendo o lado delas e deixei de julgar tanto. Isso foi fundamental para a minha mudança de posição em relação a Morgana que ao final do livro se tornou a minha personagem favorita. Estou louca para saber a continuação de sua história.
Outro fator que é bastante presente no livro é a magia referente à Avalon. Não é uma magia legal como a de Harry Potter ou outros livros sobrenaturais, mas é uma coisa meio tosca que em vários momentos eu fiquei "What the fuck?!". Tem uns rituais lá pelo meio do livro que são bem esquisitos e não foi nada agradável de se ler, pelo menos para mim. Não foi daquela forma de me fazer ficar fascinada sabe? Mas sim enojada! Enfim, essa parte passou e eu superei, rs!
Também foi perceptível o foco feminista e contra a Igreja Católica que a autora assume. Posso dizer que é um pouco exagerado e incomoda em alguns momentos, pela forma com que ela ao mesmo tempo que mostra-se contra a visão fechada, o conservadorismo e a opressão praticada pela Igreja e pelos homens para com as mulheres, fala da deusa de Avalon como uma deusa boa, e não-opressiva, mas que não é isso que vemos no desenrolar da história, já que a deusa já tem tudo planejado e que todo mundo já tem o destino certo, ninguém tem o direito do livre-arbítrio.

Apesar do livro ter terminado de uma forma que eu gostei ainda acho que precisa melhorar bastante nos próximos livros para fazer jus ao tanto que falam dessa série, espero realmente que isso aconteça.

Até mais, pessoal :*

9 comentários:

  1. Parece ser um livro que levanta bastante críticas. Pelo que você disse, não sei como no skoob só tem críticas boas. Parece que ele surpreende bastante. Achei interessante. Já vi o filme, é desse livro mesmo ou não? Depois vou dar uma olhada.

    Beijos :*******

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha muita vontade de ler essa série e, quando li esse, fiquei absolutamente chateada. Eu odiei ele inteirinho, do começo ao fim. Não sei como consegui terminar, na verdade. E nem me animei a ler o resto pelo final, apenas desisti mesmo.

    Agora um comentário rápido sobre o post passado: amei. <3

    Beijo, Deby!

    ResponderExcluir
  3. Não seria um livro de outra faixa etária por isso destes sentimentos controversos?

    ResponderExcluir
  4. Também tenho a série! Mas ainda não li nenhum, não sei se seu post me deixou mais empolgada ou não para ler os livros hahaha Acho um pouco ruim quando o livro não te conquista no início e eu imaginava que o livro falaria das lutas também. Mas em contra partida acho que vou gostar dos rituais meio macabros e gosto de ler como as pessoas se sentiam em relação à Igreja Católica naquela época. Uhm, acho que decidi estar empolgada, quem sabe é o próximo livro que leio =)) beijos!

    ResponderExcluir
  5. Li esses livros da Marion, mas já faz algum tempo, então não me lembro exatamente das minhas impressões durante a leitura. Acho que, no final dos quatro livros, o saldo foi positivo, mas também fiquei incomodada com alguns dos rituais. Em um deles eu realmente tive que deixar o livro de lado, haha, não me recordo em qual dos livros isso aconteceu. Mas a leitura foi válida pra mim, pois adoro as lendas arthurianas e sempre tenho curiosidade sobre qualquer coisa relacionada a elas. E ter uma visão feminina foi interessante, apesar de que minha versão favorita é a de Bernard Cornwell - essa sim, cheia de batalhas! Se você ainda não tiver lido, fica como uma dica! (:

    ResponderExcluir
  6. Estou terminando o quarto livro da série e, tirando a insuportável da Gwenhwyfar, eu estou achando a história fascinante! Farei resenha quando terminar de ler o ultimo. Beijão!!!

    ResponderExcluir
  7. Cara, tenho esses livros aqui [não nessa edição] para serem devorados qualquer dia. Mas, quem disse que arrumei tempo? O principal fator foi: é a saga de livros preferida de uma das pessoas que admiro. E além disso, é mais uma das histórias de Arthur. Deve ser interessante por ser vista do ponto de vista de uma mulher.

    ResponderExcluir
  8. As Brumas deve ser uma série maravilhosa, até porque mistura magia com religião. Tenho muuuita vontade de ler!
    boa semana :)
    ;**

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  9. Aaah, eu li os dois primeiros livros da série há alguns anos, mas nunca consegui terminar. Acho que por ser nova demais quando comecei, o estilo de escrita e a pouca ação me desanimaram. Mas, ao mesmo tempo, eu gostava do livro. Difícil de explicar. Acho que concordo muuuito com a sua análise, mas a magia não me incomodou tanto haahah.

    Estou com um blog novo! Eu era a antiga blogueira do falecido Teor Alcóolico rs

    Beijoos!

    ResponderExcluir